Você está vivendo um “Relacionamento Tóxico”?

6 de dezembro de 2019
Casal+1Namorar é muito bom!
O namoro é o tempo das descobertas. Mas se já no namoro, existem dificuldades no relacionamento – não é bom sinal! Isso quer dizer, que enfrentarão problemas dentro do casamento! A Bíblia diz que “quem planta, colhe” (Gl 6.7-8). Namoro é o tempo de plantar, para o resto de uma vida a dois. Se você escolher mal a pessoa com quem irá se casar, vai assumir as consequências de sua escolha!
Devemos assim, usar o tempo do namoro para observação! Claro que não dá para conhecer completamente o outro. Afinal, estamos sempre nos transformando, a cada dia. Mas, a personalidade e a maneira como agimos, são mais estáveis. Temos um perfil, que quase não muda. Portanto, há certas características da pessoa, que não irão mudar, após o casamento. Elas fazem parte do seu jeito de ser! Talvez, ela possa aperfeiçoar-se, flexibilizar-se, ceder em algumas situações, pois isto faz parte de uma boa convivência. Mas, mudar radical e completamente em função do outro, isso seria anular-se. Seria despersonalizar-se. E isso, não é saudável para ninguém!
Será que você está vivendo um relacionamento saudável ou uma convivência “tóxica” (que em vez de fazer bem, está produzindo coisas ruins em você como pessoa)? A psicóloga Laura Potrich, descreve alguns sinais que devemos conhecer, sobre Relacionamentos Tóxicos:
1. Acúmulo de chateações: ao invés de acertar os problemas logo que aparecem, o casal deixa acumular e explode, jogando tudo na briga seguinte;
2. Crítica desmedida: comentários frequentes, exagerados e anormais e visam diminuir o outro; 
3. Clima tenso, desconfortável e negativo: com constante ansiedade; 
4. Você fica “pisando em ovos” quando estão juntos: com medo do outro explodir a qualquer momento;
5. Sente que não pode ser “você mesmo”, a maior parte do tempo: para agradar as expectativas do outro; 
6. O relacionamento traz à tona suas piores qualidades: tensão, seus amigos queixam-se de suas atitudes; 
7. Há uma constante luta pelo poder: resolver o problema não é tão importante, quanto “ganhar a briga”.
8. Frequentes crises de ciúme: o ciúme obsessivo torna-se uma doença e há tratamento para isso;
9. Você não enxerga o futuro da relação: por que continuar algo que não se vê futuro? 
10. Você simplesmente não está feliz: quando você se doa e não há reciprocidade, por que continuar?
11. Não há apoio nas suas escolhas de vida ou metas: o outro acha que seus sonhos e alvos são estúpidos ou que você nunca vai alcançar seus objetivos – talvez tenha que rever sua relação; 
12. Tudo é culpa sua: você é a raiz de todo o mal, supervaloriza suas inseguranças e defeitos; 
13. Frequentes ameaças de término do relacionamento: principalmente quando sabe que o parceiro vai pedir para não terminar – usam a ameaça para poder controlar o outro;
14. Suspeitas acontecem o tempo todo: não há confiança e sim uma vigilância exagerada ao outro;

15. Dependência: tanto financeira, emocional ou física. Quando você dá sinais de que vai cuidar de si, o outro detesta e tentar manter você sob controle.

(Fonte: https://www.psicologiaviva.com.br/blog/relacionamento-toxico/)

O namoro tem o “bom propósito” de oferecer oportunidades, para que os parceiros se conheçam mutuamente – descubram se a pessoa com quem namoram, será a melhor companhia para o resto de suas vidas. Portanto, é preciso aproveitar este tempo com sabedoria e inteligência, para fazer uma boa escolha.
Discussões e conflitos no namoro, devem ser analisados fria e racionalmente, com prudência e bom senso – não apenas com “paixão”:
Será um bom sinal: quando as discussões existirem por causa de assuntos maduros, como: objetivos de vida, responsabilidade, melhora da performance profissional, visão quanto ao futuro, administração do tempo, etc, pode ser uma boa preparação para os diálogos que “certamente” acontecerão no casamento.
Será um mau sinal: quando os problemas são graves e acontecem em áreas importantes como: valores morais, éticos, retidão de caráter, violência doméstica, vícios, más companhias, entre outros. Nesse caso, caia fora enquanto há tempo! Mas se as divergências forem em áreas menos importantes do relacionamento, que até dá para suportar – observe se esta é a pessoa que você quer ter ao seu lado, pelo resto de sua vida!
Deus nos chamou para vivermos em paz! Aliás Cristo é chamado de “o príncipe da Paz” (Isaías 9:6). O apóstolo Paulo diz “que o próprio Senhor da Paz lhes dê paz, em todos os momentos e situações” (2Ts 3:16). Mas como você espera ter paz, se seu relacionamento é “tóxico”?
Avalie com cuidado seu relacionamento, pois a escolha do seu futuro é de SUA inteira responsabilidade! Depois, não vá culpar a Deus, por opções que foram suas. Lembre-se do conselho do profeta Amós e tome sua decisão com SABEDORIA e não apenas por paixão: “Acaso duas pessoas podem andar juntas se não estiverem de acordo?” (Amós 3:3).
Boas escolhas e viva feliz!

Autores: Pr. Sergio e Psi. Magali Leoto

Você gostaria de levar Pr. Sergio e Psi. Magali Leoto à sua Igreja? Agende um trabalho para este ano! Informações: smleoto@uol.com.br e (11) 99957-0451 whatsapp.

Share Button

Deixe seu Comentário

Comentários

Comentários