O Músico Adorador

17 de março de 2015

adorador4Os músicos têm sido muito requisitados e utilizados pelas comunidades, na participação e até na direção dos momentos de culto, louvor e adoração a Deus. Instrumentistas, cantores, compositores e regentes de bom nível são sempre bem vindos, principalmente quando buscamos oferecer louvor com excelência ao Senhor.

Vários destes mesmos músicos, no entanto, têm sido motivo de tristeza em suas comunidades. Seja por razões de indisciplina, ou de queda moral, ou ainda por cultivarem motivações erradas, que nada têm a ver com adoração ao Senhor, temos sido surpreendidos com o afastamento de alguns bons músicos. Por que isto tem acontecido com frequência tão grande e em tantos lugares? Tentando responder a estas perguntas, vamos refletir sobre alguns aspectos:

  1. ANTES DE SER MÚSICO, TEM QUE SER ADORADOR

Atilano Muradas, em seu livro “Decolando nas asas do Louvor” (Ed. Vida, pág. 27), conta que dois músicos, líderes do Louvor em suas comunidades, vieram até ele para marcar aulas de violão. Queriam estudar mais a fim de executarem melhor suas atividades ministeriais. “Disse-lhes que primeiramente nossas aulas seriam sobre ‘louvor e adoração’, sob o prisma bíblico. Percebi que eles acharam estranho, tanto que nunca mais compareceram às aulas”.

Esta atitude é mais comum do que se pensa! Quando um grupo de Louvor ou um conjunto vocal está para ser formado, as perguntas mais feitas pelos interessados em participar, são: “Quando começam os ensaios?” e também “Para quando está marcada a primeira apresentação?”. Você quase nunca ouve: “Vamos ser instruídos a como adorar melhor?” ou então “Serei capaz de levar toda a Igreja a adorar?”.

Qualquer pessoa que esteja em destaque, na direção de um culto, é visto pela comunidade como “um líder” e um “exemplo”. É necessário que alguém que leve outros ao louvor tenha anteriormente exercido a prática da adoração em todos os seus requisitos. Sua vida pessoal deve ser coerente com o que ele fala e prega nos momentos de louvor congregacional.

Mesmo que alguns músicos não compreendam e questionem este fato (achando uma “pressão” muito grande sobre eles, que só querem “ajudar”), ele é uma realidade. Assim, quem pretende ter o privilégio de levar o povo (que não é um público de fãs, mas sim parte do Rebanho de Deus) a adorar, tem que em primeiro lugar vivenciar esta adoração em sua própria vida! Músicos, existem aos montes – Ministros de Deus, servindo na liderança do Louvor, são os que o Senhor e as Igrejas anseiam ! Estes, são em número bem menor!

  1. OS PERIGOS DO “PALCO”

Alguns músicos podem perguntar: “Com que autoridade os escritores falam sobre este assunto?”. Falamos com a autoridade de quem já é parte da História da Música Gospel do Brasil. Sergio, foi membro e depois missionário do grupo “Vencedores por Cristo” (um dos primeiros grupos jovens a testemunhar por todo o país, respeitado por todas as denominações, numa época em que praticamente não existia a Mídia Gospel como a que temos hoje), por 19 anos e a Magali também foi missionária ali, por 9 anos.

Assim sendo, com tanta estrada trilhada, existem poucos “mistérios do palco” que não conheçamos de perto, ou mesmo dramas que não tenhamos vivenciado. Neste tempo pudemos aprender muitas coisas. Uma das principais delas foi que: “o palco torna-se para muitas pessoas, um lugar de tentação, onde se pode dar espaço às vaidades, invejas, competições e desejos mais mesquinhos, banais e profanos”. Sabe como não ser vencido por esta tentação? Buscando estar diante de Deus, como verdadeiro adorador, com todos os requisitos que isso possa implicar.

  1. APRENDENDO A RECEBER ELOGIOS

Ser bem sucedido em uma apresentação, é um desejo positivo e que todo músico quer. Estudar e trabalhar para ter um bom desempenho, tem que ser sempre incentivado, pois queremos oferecer sempre o melhor ao nosso Deus (Sl 33:3 “Cantem-lhe uma nova canção; toquem com habilidade ao aclamá-lo”). No entanto, precisamos de muita maturidade pessoal e espiritual, para receber os elogios, aplausos e o assédio de pessoas que muitas vezes, só se aproximam de você pelo “sucesso momentâneo” que ganhou (possivelmente, uma semana antes, passavam por você e nem sequer o olhavam).

Em nosso grupo (Vencedores por Cristo), tínhamos um estudo bíblico que era ministrado a todos os participantes que entravam, sobre “Como encarar e receber os aplausos e elogios”. O objetivo era fazê-los entender que haviam dois modos de encarar esta situação: um positivo e outro negativo.

O positivo, é entender que quando alguém nos aplaude, está dizendo: “Muito bem! Continuem com esse bom trabalho!”. Este incentivo é positivo e nos motiva a aprimorar cada vez mais, o nosso louvor a Deus. O negativo é “reter para você, a glória que deve ser encaminhada ao Senhor”, achando-se o máximo, “hoje eu fui demais!”. Aí, você denunciou sua trajetória de queda espiritual e pessoal, além de “arrumar uma briga” com alguém que você não pode vencer e que não divide a Sua glória com ninguém: Deus ! Portanto, recebeu aplausos e elogios? Sinta-se incentivado a melhorar cada vez mais e repasse “rapidinho” a glória a Quem deve recebê-la : o Senhor (mesmo porque sem Ele, você nem sequer existiria) !

  1. BUSCANDO MATURIDADE

O músico que realmente quer “fazer diferença”, destacando-se por ser usado pelo Senhor, é alguém que busca diariamente a maturidade pessoal e cristã. Liderar (tocar, cantar ou dirigir) o louvor entre o povo de Deus, não é tarefa fácil. É preciso estar dependente da Graça de Deus, para ter o equilíbrio emocional e espiritual.

Aquele que trabalha ou dirige o Louvor, deve estar comprometido com o Senhor, mantendo a leitura da Bíblia e a oração como práticas regulares e fundamentais em sua vida. Sua comunhão com Deus, o ajudará a discernir o que o Espírito Santo quer transmitir à congregação. Ele o usará para que traga palavras de motivação, exortação e edificação nos momentos apropriados.

O músico adorador logo perceberá, que nessa busca constante por maturidade, a oração é o “combustível” básico. Nada se faz sem ela. É preciso estudar sob muita oração; ensaiar em oração; antes do culto, passar algum tempo sozinho em oração; apresentar-se, debaixo de oração. Durante a semana preparar o período de Louvor, também com muita oração.

O centro do louvor é Cristo. Ao invés de dirigir a atenção das pessoas para si mesmo, o bom líder de louvor e o músico cristão, devem sempre buscar focalizar as atenções na pessoa de Cristo, ou seja, “esconderem-se atrás da Sua cruz”.

  1. CARACTERÍSTICAS DESEJÁVEIS

Atilano Muradas em seu livro já referido (Op. cit. pág. 30), relaciona várias qualidades e características desejáveis a quem quer ministrar Louvor congregacional (dirigentes, instrumentistas ou vocalistas), das quais relacionamos algumas:

  • Procuram ser pessoas segundo o coração de Deus: “(…) Achei a Davi filho de Jessé, homem segundo o meu coração, que executará toda a minha vontade” (At 13:22).
  • Procuram sempre aprender e se aperfeiçoar cada vez mais: “(…) o entendido adquira habilidade” (Pv 1:5).
  • Possuem consciência de que dependem de Deus para tudo o que fizerem: “Todas as minhas fontes estão em Ti” (Sl 87:7).
  • São responsáveis em tudo: horários, ensaios, em casa, no trabalho, na escola etc. (Jr 48:10a).
  • São íntegros, retos e tementes a Deus:(Sl 25:21; Sl 119:1,80,128; Sl 125:4; Sl 140:13; Pv 2:21; Pv 16:17).
  • São entusiasmados: não se abatem facilmente e ainda “levantam os outros”. Para isso, buscam “encher-se do Espírito” (Ef 5:18).
  • São prudentes: moderados, comedidos, cautelosos, sensatos, ponderados. (Fp 4:5).
  • São quebrantados: maleáveis, abertos à correção e ao ensino. (Jr 18:6; 1Pe 5:5-7).
  • Não fazem acepção de pessoas: Se Deus não faz, nós também não podemos fazer (At 10:34; Rm2:11; Ef 6:9; Tg 2:1,9; 1Pe 1:17)
  • Por estarem investidos de autoridade, exercendo como que um ministério pastoral, devem preencher os requisitos de Tito 1:6-9: “(…) irrepreensível, marido de uma só mulher, que tenha filhos fiéis, que não possam ser acusados de dissolução, nem são desobedientes … nem irascível, nem dado ao vinho, nem espancador, nem cobiçoso de torpe ganância. Deve ser hospitaleiro, amigo do bem, sóbrio, justo, piedoso, temperante. Deve reter firme a fiel palavra”. O verso 6, adaptado para os solteiros, conclama-os a não serem pessoas que namoram desordenadamente, tornando-se malvistos pela congregação.
  • Vivem o papel de líderes da congregação, junto com os outros líderes: Visitam, oram pelas pessoas, participam de mutirões, festas, vigílias, conversam com todos indiscriminadamente. São ministros de louvor 24 horas por dia.
  • São submissos à liderança da congregação: as divergências podem ser discutidas, mas a palavra final deve ser da liderança. (Rm 13:1,2).
  • São reverentes: Não tem atitudes levianas diante do Senhor, pois honram a Sua presença majestosa.
  • Participam sempre que possível, das atividades da congregação: não se limitam apenas às atividades onde estão envolvidos.
  • Aprendem a trabalhar em equipe: sabem prestar contas a alguém que está liderando e sabem cobrar a responsabilidade, quando estão liderando ; entendem que dividindo o trabalho, certamente se chegará mais longe, em qualquer objetivo.
  • Buscam Santificação: O Senhor não pode agir por intermédio de alguém que vive pecando e não busca santificação. Deus mesmo diz: “Sede santos, porque eu o Senhor vosso Deus, sou santo” (Lv 19:2).

CONCLUSÃO:

Você pode estar querendo dizer a mesma frase que um dia disseram a Jesus: “Duro é este discurso! Quem o pode ouvir?” (Jo 6:60). É verdade! Ser músico adorador, não é nada simples. Mas se mais músicos buscarem colocar suas vidas diante de Deus, observando estes pontos básicos que apresentamos, teremos muito menos problemas nas comunidades.

Ser um fiel adorador é possível! Quando isto acontece em espírito e em verdade, a utilização de seus dons e talentos (até os musicais), será uma consequência natural. Coloque agora mesmo todo o seu ser, seus desejos e habilidades diante de Deus. Este é o princípio correto para tornar-se um verdadeiro Adorador, não apenas em palavras, mas de forma real.

(Extraido da Revista “Cultivando um Coração Adorador”, Sergio e Magali Leoto ,Ed. Z3 Ideias: www.z3ideias.com.br)  

Você gostaria de nos levar à sua Igreja?
Informações Clique Aqui ou ligue para nós!
Fones: (11) 3288-2964 e 99957-0451

 

Share Button

Deixe seu Comentário

Comentários

Comentários